O Labirinto do Fauno

Título:  O Labirinto do Fauno

Autores: Cornelia Funke e Guilhermo del Toro

Ilustrador: Allen Williams

Tradutora: Bruna Beber

Número de chamada: LIJ11364

Número de registro: 118/2020

Editora:  Intrínseca

Ano de publicação: 2019

Número de páginas: 320

Resenha:

“Raramente o mal se mostra de imediato. A princípio é só um sussurro”. Iniciando a história da menina Ofélia com essa frase, os autores já nos dão a ideia do que leremos.

Esse sussurro e todos os sinais sutis do mal já haviam sido detectados pela pequena Ofélia no homem que ela secretamente chamava de Lobo. Com ele, de agora em diante, ela e sua mãe iriam morar em um local isolado próximo a uma floresta ocupada por rebeldes. De sua antiga vida, só uma coisa ela trazia junto a si, os livros de contos de fada e neles  iria mergulhar para enfrentar essa dura realidade.

Tendo como pano de fundo a guerra civil espanhola, a história nos conduz por um labirinto de metáforas, seres fantásticos e alegorias,  que não nos permitem diferenciar o que é real do que é o imaginário de Ofélia. Importante como sua imaginação, fundamentada nos contos, vai ajudá-la  a suportar a realidade. O livro mostra o poder da literatura e sua capacidade de transformar o mundo à volta.

Em capa dura e com ilustrações instigantes que sugerem o tom misterioso e fantástico da narrativa, o projeto gráfico do livro mantém o clima de sombras e temores que acompanham a ideia do labirinto.

 

Clique na imagem para ampliar.

Palavras-chave: guerra, imaginação, seres fantásticos, labirinto, medo

Imagem-chave: página 228

Resenhista: Maria Clara Cavalcanti de Albuquerque

rodapé_gg

© 2016 iiLer/Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio Todos os direitos Reservados

Webmaster responsável: Viviane Moreira

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

Pular para a barra de ferramentas